Este blog chegou ao fim da sua vida !!!


Mas vai renascer com todos estes e muito mais posts em http://www.gemeo-singular.blogspot.com/, com nova imagem e novo nome.


Esperamos-vos lá!



LUTO INSONDÁVEL PRESO NUMA ESPIRAL DE AMOR SEM FIM

Veja no fundo desta página uma apresentação em 23 slides: a origem dos sentimentos que gémeos singulares relatam com mais frequência e uma descrição dessas sensações e emoções.



9 de maio de 2012

Gilka Machado


(in Velha poesia, 1965)

"Nesta ausência que me excita, tenho-te, à minha vontade, numa vontade infinita...
Distância, sejas bendita! Bendita sejas, saudade!"

Gilka Machado

25 de maio de 2010

Segundo Aniversário

Hoje este blog faz dois anos.

Para comemorar esta data decidi mudar para uma imagem mais luminosa, de mais esperança no futuro, e principalmente de mais vida.
Além disso também mudei o nome de Gémeos Sobreviventes para Gémeos Singulares (http://www.gemeo-singular.blogsopt.com/), por neste momento me parecer uma designação mais acertada. Afinal a palavra sobreviventes é demasiado conotável com sofrimento vitalício... quero dar mais liberdade de escolha a esta condição; singular não é mais que o inverso de plural ou dual!

Ao longo destes dois anos o meu grande objectivo tem sido, e vai continuar a ser, de contribuir, de uma maneira muito espontânea e pessoal, para a divulgação deste que é um segredo muito bem guardado... uma nova perspectiva sobre as características da psique e das emoções humanas...

Falo do que sinto e do que observo, do que me dizem, do que leio, etc., etc. E aceito propostas de posts de quem quiser contribuir; é só escrever para wombtwin.pt@hotmail.com.

Faço-o para todos aqueles que sentem curiosidade, que procuram saber mais sobre o que são e como sentem os gémeos singulares, ou para quem, por acaso, aqui vêm parar...

E tenho muito gosto em fazê-lo, é um prazer, uma paixão!

24 de maio de 2010

Grito IV

Tenho 48 anos e durante todo este tempo senti sempre uma solidão muito grande, não sei fazer nada sozinha, ao ponto de me zangar comigo mesma por não conseguir fazer as coisas mais simples da vida sozinha, como ir às compras, ao cinema, à praia, até uma pequena viagem de 20 minutos de carro.
Só ontem, numa constelação familiar, descobri que sou uma gémea sobrevivente, e percebi agora o porquê de tanto sofrimento!

E como foi bom ter essa consciência e fazer uma vénia a esse embrião que não sobreviveu e que me deu a vida.
Agora sei que tenho de o libertar de mim e dar uma oportunidade a mim mesma de viver sozinha….
Edite Feiteiro

20 de maio de 2010

EU SOU NUVEM PASSAGEIRA

Mais uma canção que dá voz ao gémeo perdido... (assim como a que foi referida no dia 11 deste mês)

19 de maio de 2010

Vizinhos de Útero

Histórias de gémeos adultos vivos, a sua relação, as suas alegrias e tristezas

Vizinhos de Útero é um blog criado por Jemima Pompeu, uma brasileira de São Paulo, a gémea da esquerda na foto.
Hoje ambas têm 41 anos, no entanto na sequência do caminho que a sua vida tem levado no que respeita à sua irmã, Jemima entende o sofrimento dos gémeos singulares.

Neste relato Jemima explica-nos gentilmente o que a levou a criar o seu blog (para conhecer toda esta história clique aqui, e veja uma entrevista sua):

Somos gêmeas bivitelinas e na infância éramos muito unidas, tínhamos sintonia e cumplicidade. Mas, na adolescência ela aproveitou a oportunidade para morar com meu irmão nos Estados Unidos e eu escolhi ficar.
A partir daí, perdemos aquela sincronia gemelar. Naquela época não tinha internet. Nosso contato era raro. Aos 21 anos ela voltou noiva, eu já estava casada. Tanto ela quanto eu - éramos pessoas diferentes. A vida tinha mudado muito para ambas. Logo em seguida ela casou e eu me separei. Com o divórcio decidi morar no Paraná e ela ficou em São Paulo. Então, não tivemos mais a oportunidade de conviver. Não tínhamos mais assuntos comuns para compartilhar, não tivemos interesse em acompanhar uma a vida da outra. Quando voltei pra São Paulo em 2006, ela tinha se mudado com o marido e filhas para Miami. Nossa vida é marcada por desencontros.
Durante muitos anos eu não entendia essa distância emocional, essa enorme lacuna que ela deixou em mim. Mas hoje eu compreendo que não foi intencional nem proposital.
Eu a amo incondicionalmente, mesmo tendo uma relação superficial. Não é porque não falamos o mesmo “idioma” que devemos cultivar mágoas. Não há rancor.
E justamente por estar liberta deste conflito, senti-me preparada para criar o Vizinhos de Útero e compartilhar minha história com os demais gêmeos.
Consulte também http://www.vizinhosdeutero.blogspot.com/, ou em Twitter: @vizinhosdeutero


E no cabeçalho do seu blog Jemima escreve:
Você procura seu irmão (a) gêmeo (a)? Envie sua história por e-mail e deixe seus contatos. Seu recado é postado aqui, em 'PROCURO-ME'. Afinal, quem procura um irmão gêmeo, procura parte de si mesmo.

11 de maio de 2010

DJ Encore - On Your Own

Apesar de mais raras, podemos encontrar em manifestações artisticas de diversos tipos, nomeadamente na música, algumas referências ao sentir do gémeo perdido, daquele que se foi, do que desistiu do sonho de viver, daquele que decidiu partir para deixar espaço ao seu irmão sobrevivente.

Esta música e letra de DJ Encore (a primeira música da lista a tocar aqui no blog), tão emocional e melancólica, descreve uma comovente despedida.
Reparem na inevitabilidade do adeus apesar do vínculo amoroso... reparem no sublinhado...


A menininha que procuras já cá não está. Não lhe podes chegar, está fora da vista; desaparece lentamente na escura noite vazia onde costumávamos estar deitados; enquanto tu dormes eu sussurro-te: Adeus.
Porque nada permanece igual para sempre. Eu gostava de poder mudar por ti.

Vá, deixa-me
enquanto ainda podes, continua sem mim, tens que entender, é assim que eu sou. Por isso, boa noite, meu amor, agora ficas sozinho. Agora ficas sozinho.
A menininha que costumava dizer: eu nunca te deixarei, mudou de ideias, acordou do seu sonho sem fim. E no lugar escuro e vazio onde costumamos ir, quando hoje é ontem, saberemos que nada permanece igual para sempre. Eu gostava de poder mudar por ti.

Vá, deixa-me enquanto ainda podes, continua sem mim, tens que entender, é assim que eu sou. Por isso, boa noite, meu amor.
Espero que te sintas melhor, e talvez um dia possas entender, que nós estamos sós -juntos. Oh, meu amor, não fiques como eu…

Vá, deixa-me, continua sem mim enquanto ainda podes. Tens que entender é assim que eu sou, por isso, boa noite, meu amor, agora ficas sozinho. Agora estás sozinho.